Visualization of a digital blockchain system.

Você sabe o que é Blockchain?

Se você acompanha o mercado de criptomoedas, em particular, certamente já ouviu esse termo. Mas por que ele é importante e por que você deveria conhecê-lo?

A resposta é bem simples: trata-se de um novo modelo de banco de dados, cuja estruturação pode ser útil para o seu negócio.

Mas, para começarmos, é importante relembrar o conceito de Banco de Dados: um conjunto de informações armazenadas em um sistema computacional. Geralmente essas informações são estruturadas em forma de tabelas, facilitando a pesquisa a filtragem desses dados de modo a oferecer acesso a informações específicas.

Um banco de dados é projetado para armazenar um conjunto grande de informações que podem ser acessadas, filtradas e manipuladas rapidamente e sem muita dificuldade por muitos usuários simultâneos. Grandes bancos de dados atingem esse objetivo hospedando os dados em servidores formados por computadores robustos. Esses servidores podem ser formados por centenas ou milhares de computadores, de modo a atenderem a demanda de capacidade de processamento e armazenamento necessária para que inúmeros usuários possam acessar seus dados simultaneamente.

Apesar de estar disponível a múltiplos usuários, um banco de dados é de propriedade de alguma entidade corporativa e é gerenciado por um indivíduo (ou grupo de indivíduos) específico que detém o controle de como o banco de dados funciona e sobre todos os dados armazenados.

Daí a diferença entre o Banco de Dados e o Blockchain: a estruturação dos dados.

Um Blockchain coleta informação em grupos – ou blocos –, que agrupam um determinado conjunto de dados. Os blocos têm uma capacidade limitada de armazenamento e, uma vez cheios, são atrelados – ou “acorrentados” (“chained”, em inglês) – ao bloco anterior, formando uma corrente de dados. Qualquer nova informação adicionada após a formação desse bloco preso à corrente de blocos é compilada em um bloco novo, que, uma vez cheio, será atrelado ao conjunto de blocos anteriores a ele.

Ou seja: um banco de dados estrutura seus dados em tabelas e um blockchain estrutura seus dados em blocos atrelados sequencialmente. Dessa forma, todo blockchain é um banco de dados, mas nem todo banco de dados é um blockchain. Este sistema gera uma linha de tempo dos dados que é irreversível, se implementada de forma descentralizada. A partir do momento em que um bloco está cheio de informações, torna-se parte da linha do tempo e recebe uma classificação de quando ele foi adicionado à corrente.

Por isso esta tecnologia é utilizada pelo Bitcoin e vem se tornando importante para instituições, especialmente financeiras, que necessitam de uma base de dados confiável: o blockchain funciona como um livro contábil público e, como todos os blocos são interdependentes e imutáveis, é impossível alterar a linha do tempo.

Ainda no caso do Bitcoin, não existe um administrador ou servidor central armazenando esses dados. Eles são compartilhados por milhares ou milhões de computadores em todo o mundo, e as alterações são registradas simultaneamente por todas essas máquinas. Dessa forma, não há um controle central sobre as informações: elas são públicas. Também não há a possibilidade de alguém adulterar os dados, visto que as informações não serão aceitas se qualquer modificação for recusada em computadores que formam essa rede.

“Ok, mas como essa tecnologia pode ser útil para a minha empresa?”

Qualquer empresa que trabalhe com dados críticos e que precisam ser fundamentalmente confiáveis, por razões de auditoria ou tomada de decisão, em virtude de alguma legislação corrente, entre outras razões, pode se beneficiar de uma estrutura de dados em blockchain.

Imagine que você opera uma empresa de logística de alimentos: é necessário saber, sem margem de erro, de onde eles vieram, quando e para onde estão destinados, de modo a não ter problemas com a validade dos insumos. Em uma rede blockchain, a exata data e hora de registro dos produtos recebidos estariam em um bloco. À medida em que esses itens fossem transportados e movidos até seu destino, tudo seria registrado e controlado, e esses dados seriam todos inseridos na rede de blocos, sem a possibilidade de alteração ou manipulação de qualquer espécie. Claro, todos esses dados seriam devidamente criptografados e só poderiam ser acessados por pessoas com autorização para tal. Mesmo assim, seriam apenas acessados, e todas as alterações seriam armazenadas em novos blocos, gerando uma linha do tempo de dados confiáveis.

Este foi apenas um exemplo. De todo modo, fica claro que essa estruturação de informações pode ser útil e é aplicável a inúmeros modelos de negócios.

Quer entender mais a respeito? Está interessado no assunto? Temos especialistas comerciais e técnicos que podem te explicar como aplicar um banco de dados em blockchain na sua empresa, demonstrando vantagens e desvantagens para o seu negócio. Venha falar conosco!

Autor: Augusto Souza – Executivo de Contas da Integratto

Compartilhe esse Post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
lgpd-dados

Você sabe o que é a LGPD?

A sigla se refere a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei nr 13.709) sancionada em 14 de agosto de 2018 e que entrará em